Escolher e Viver

Divulgar um tratamento que traz mais bem estar para o paciente e incentivar a doação de órgãos, é o grande objetivo do projeto. Para Nair Benedicto, fotógrafa e paciente renal crônica, Escolher e viver traz informações valiosas. “[O projeto] desmistifica a prática da diálise peritoneal e mostra pessoas de todas as profissões e idades se tratando em locais de todo tipo. Espero que esse livro e seus depoimentos emocionantes levem força e coragem a todos os renais crônicos”.

Enquanto desenvolvia A curva e o caminho (2008), André François conheceu histórias de pacientes renais crônicos. Foi inspirado pelas histórias de alguns desses pacientes que André decidiu se aprofundar na realidade destas pessoas. Muitos deles moravam no interior do país e precisavam se deslocar três vezes por semana ou se mudar para uma cidade maior para se submeter à hemodiálise.

Ao pesquisar o tema, o fotógrafo conheceu a diálise peritoneal, que apesar de poder ser feita em casa, com mais comodidade, é ainda pouco difundida. Com isso, André resolveu contar a história de pessoas que aderiram ao tratamento e puderam seguir suas vidas dentro de seus lares, enquanto aguardam o transplante.

“O olhar do fotógrafo André François, mais uma vez, é lançado com agudo senso humanitário e sensibilidade sobre um tema médico. Homens, mulheres, jovens e crianças dos quatro cantos do Brasil, de diferentes classes sociais e profissões, espelham o mosaico das diversidades sócio econômicas e culturais de nosso país que indistintamente têm em comum a falência renal”, analisa Fabio Tozzi, médico e coordenador do projeto Saúde e Alegria.

Lançado em 2009, Escolher e viver – Tratamento e qualidade de vida dos pacientes renais crônicos foi finalista do prêmio da Fundação Conrado Wessel de Arte, na categoria Ensaio Fotográfico Publicado.